quarta-feira, 7 de março de 2007

A OBESIDADE, DOENÇA DO SÉCULO!


O pesquisador americano Barry Popkin, da Universidade da Carolina do Norte, nos E.U.A, afirmou que o número de obesos já ultrapassou o número de subnutridos no mundo. Num seminário da Associação Internacional dos Economistas Agrários na Austrália, disse que “o número de pessoas acima do peso já passa de um bilião, enquanto os subnutridos são cerca de 800 milhões”.

Popkin sugere mesmo a criação dum imposto sobre calorias para estimular hábitos alimentares mais saudáveis. Boa idéia! Devia-se penalizar os que comem demais neste mundo onde tanta gente morre de fome enquanto milhões morrem de ‘enfarte’.

A verdade é que a Obesidade afecta já centenas de milhões de pessoas no Mundo inteiro, mais do que os da desnutrição, sendo a pandemia do século XXI, como já é considerada por muitos especialistas no assunto. A situação é dramática e a Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta para este flagelo silencioso que mata anualmente mais gente do que as guerras fratricidas e catástrofes dos últimos tempos.

A situação em Portugal é mais que preocupante porque mais de metade dos portugueses (52,4%) sofre de excesso de peso no caminho da Obesidade, sendo já “medalha de ouro” na Europa, perdendo apenas para os E.U.A. Num estudo efectuado recentemente à população portuguesa, concluiu-se que por cada 100 adultos 40 têm excesso de peso e 14 são obesos, e, nas crianças, em cada duas uma tem excesso de peso numa obesidade precoce que começa cada vez mais cedo. O responsável pelos estudos aponta como causa deste “flagelo silencioso” os maus hábitos alimentares que degeneraram nas últimas décadas na vida dos portugueses, contrariamente à «Dieta Mediterrânica» que caracterizava a gastronomia da maior parte da população, juntando-se a isto a falta de exercício físico.

Destarte, come-se demasiadas carnes vermelhas ou outras, demasiado sal, doces e gorduras, bebidas açucaradas, etc., sendo as crianças particularmente consumidoras de alimentos altamente calóricos e refinados como cereais do tipo "néstum com mel" ou "pepitas c/chocolate" entre outras coisas carregadas de sal e açucar durante o dia todo que as faz aumentar de peso e sofrer também de hipertensão.

Os alertas são feitos com particular insistência para que se altere os hábitos alimentares dos portugueses que estão sofrendo cada vez mais de doenças cardiovasculares, de cancer, diabetes, etc., mas a verdade é que não há interesse em alterar a situação porque os interesses económicos acabam sempre por estar acima da saúde e qualidade de vida da população.

Entretanto muita gente aprecia a “fast-food”, e as Lojas Macdonald’s se enchem de jovens e adultos apreciadores da chamada “comida de plástico” que passou a fazer parte dos hábitos diários dos cidadãos desatentos à informação que já existe no sentido de alertar para os riscos de saúde a curto ou médio prazo, mas infelizmente nada é feito oficialmente, porquanto nenhuma decisão é tomada pelos governos para evitar a calamitosa situação.

As pessoas vão adoecendo porque comem e bebem mal, inclusive se promovem festas gastronómicas regionais onde as carnes de porco, os presuntos, os enchidos, as alheiras, queijos gordos, doçarias regionais e conventuais, etc., são levadas em conta de “comida tradicional” que contribui para agravar o flagelo da Obesidade em Portugal.

E assim vai a vida e saúde da nossa população...

Pausa para reflexão!
Rui Palmela

14 comentários:

  1. Como se adquirem os conhecimentos que o doutor parece quer tem?
    O doutor parece ser muito velho e vivido.
    O que pensa deste Mundo em que cobardes como o doutor profetizam a morte?
    Tenha tomates e publique o meu commment.
    O que fez aos outros?
    Comment has been enabled?
    Eu sou gordo e feliz e não admito brincadeiras como as que tem neste seu blog.
    O doutor é um provocador e está a pagar caro por isso.
    Hoje vou à Igreja e se o apanho lá conto tudo ao padre.

    ResponderEliminar
  2. Caro "sr." anónimo, como vê tive "tomates" para publicar o seu comentário de pessoa mal formada que não se identificou por alguma razão, pois é mais fácil acobertar-se por detrás do anonimato quando se pretende mostrar má educação.

    Pois bem, primeiro não sou nenhum "doutor velho e vivido" e sim uma pessoa que pensa ou raciocína com alguma inteligência, coisa que parece faltar-lhe nessa sua cabecinha.

    Segundo não estu aqui a brincar nem provocar ninguém, como vc parece ser exímio em fazer nas suas palavras carregadas de ironia e azedume perante um assunto no qual devia reflectir com atenção.

    Terceiro, sou apenas alguém que neste espaço virtual emite livremente sua opinião sobre diversas coisas que neste mundo deveriam acabar e outras sofrer uma grande transformação. Se vc se sente feliz com o que é e como é, gordo ou não, isso é de sua conta e não da minha, apenas faço o meu melhor por um mundo melhor, independentemente de muita gente como vc me criticar ou não.

    Pausa para reflexão!

    Escriba (Rui Palmela)
    Aposentado da Função Pública

    ResponderEliminar
  3. Já falei com o padre a respeito do doutor e ele disse que você não é o que diz no blog, um Livre pensador, autodidacta, amante da verdade e da justiça, amigo da Humanidade e do Mundo. Defensor da vida em todos os seres. Isso é conversa fiada de doutor velho e vivido e de pessoa que pensa ou raciocína sem inteligência divina. Caro "sr." doutor, o facto de não ter eliminado as minhas palavras justas no comment anterior, não quer dizer que tenha tomates, teve apenas "tomatinhos" para publicar o meu comentário de pessoa bem formada e educada, o mesmo não digo do doutor, é apenas alguém que neste espaço virtual emite cobardemente a sua opinião sobre diversas coisas que neste mundo deveriam acabar e outras sofrer uma grande transformação para pior. Se vc se sente feliz ao acobertar-se não permitindo respostas aos seus disparates é um vegetal e tenha vergonha na cara. Sei que não vai ter tomates nem banana para publicar este comentario por isso já o copiei e vou levar hoje à noite à Igreja de Deus. Doutor, estamos conversados? Que Deus o ajude pois não está no bom caminho.

    ResponderEliminar
  4. "Que Deus o ajude pois não está no bom caminho".

    Faço minhas, as suas palavras, caro amigo, e se tem tanta certeza de que está no caminho certo e eu no errado, então prossiga e faça alguma coisa pelo bem do Mundo e pelos homens desta Humanidade que está prestes a sofrer os piores acontecimentos da História por ter engendrado o próprio mal que se abaterá por toda a parte neste século da Actualidade.

    ResponderEliminar
  5. é fácil vestirmos a moral alheia através da identificação. O senhor que se aconselha com o padre, é ainda escravo da autoridade, de alguém superior a si. Talvez fosse bom olhar para dentro, olhar para o mundo através dos seus próprios olhos ao invés de vestir os olhos do Sr padre para puder ver.

    ResponderEliminar
  6. Muito bem, Susana, infelizmente há pessoas que já não sabem pensar por si mesmas nem têm opinião própria. E este senhor "anónimo" que me chama de "Doutor" e diz que o padre com quem fala e se aconselha sobre mim até sabe que não sou nada do que digo e faço, penso que é mais um cego que nada enxerga e precisa que outro cego como ele lhe conduza no caminho. Nisto, Jesus Cristo dizia que "cegos que conduzem outros cegos caiem ambos no abismo"...

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Rui Palmela
    Responder a essa criatura é pura perda de tempo.
    Não querendo baixar ao nivel desse astraulopitecos sugiro que lhe dê a importancia que tem. NENHUMA

    ResponderEliminar
  8. diz sempre que é feliz...mas lá dentro do seu quarto,entre 4 paredes quando se sente só é que lhe vêm a terrível solidão e desejo de aceitação que sente. Meu esposo está doente, trombose,hernia de umbigo,tudo devido ao "sou gordinho mais sou feliz". São pessoas que descontam na comida suas frustrações com a vida.Comem muito para compensar. Fala sério moço,e pare de se esconder atrás de um padre, acorde antes que seja tarde. Procure se amar e se respeitar. Tem gente demais nesse mundo morrendo de fome,aprenda a dividir.

    ResponderEliminar
  9. José Santos10 junho, 2008

    Isto está assim uma certa confusão, mas aproveitando o ultimo comentário posso começar por dizer que a fome no mundo não é uma coisa que o sr. anónimo possa combater, nem nós sabemos se ele aquando das campanhas contra a fome contribui mais do que nós, o problema da fome mundial é um probelma muito complexo, derivado de inumeras lutas de interesses e que nunca será resolvido se quem tem o poder (grandes empresas, politicos, etc) assim não o desejar (como tem feito até agora).
    Em 2º lugar gostava de referir que o metabolismo e a própria natureza varia de individuo para individuo, sendo que "não ser gordo", não é propriamente sinónimo de se ter uma boa alimentação.
    Por fim penso que a culpa de haver uma elevada taxa de pessoas com peso assima da média em POrtugal se deve á nossa cultura, pois para além de ser insentivado, como é rferido, o consumo de produtos menos bons para a nossa saude, esse consumo é feito em excesso, pois na mentalidade de muita gente comer muito é ter saude. Como exemplo pessoal tenho os meus familiares mais proximos que caso eu queira comer só uma saladita com um bife grelhado e não queira batatas e que fora das refeições prefira comer fruta em vez de pão começam a dizer que estou com a mania das dietas, que vou ficar aneurético, que tou com cara de doente, quando tenho 1,85m e peso 80kg. Enfim, é esta a mentalidade..

    ResponderEliminar
  10. Rui Palmela10 junho, 2008

    Concordo com sua palavras, amigo José Santos, na totalidade.

    Já agora, aproveito para dizer que sou vegetariano há 30 anos e quando me iniciei neste regime alimentar pela filosofia de vida que mantenho desde jovem, tive logo muitas reaçcões contrárias de familiares e amigos achavam que eu estava exagerando e hoje vão reconhecendo cada vez mais a minha razão. Aliás, muitos deles já não estão neste mundo por terem morrido ainda novos com AVC's e ataques do coração.

    De resto, independentemente de se viver mais ou menos tempo do que os outros que fazem seu regime alimentar normal, digo que vale a pena fazer um regime vegetariano ou macrobiótico que felizmente vai conquistando cada vez mais adeptos aqui em Portugal. A saude e qualidade de vida é bem melhor, falo por experiência própria.

    Um abraço

    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  11. José Santos10 junho, 2008

    Concordo consigo, é a mentalidade que existe.
    Eu não penso em deixar de comer carne, mas gostava de reduzir o consumo desta e recorrer muito mais a outros produtos "vegetarianos", acho que seria benéfico não só para a minha saude, mas também para a minha vida.

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Sr. Rui Palmela, não perca o seu precioso tempo em ler essas palavras desse anonimo, que ja diz tudo não existe, pois se tivesse conhecimento do que fala daria a cara para bater como se diz na giria. Deixe pra lá, isso é coisa de quem não tem o que fazer, ele devia se preocupar e achar uma solução já que diz que o que o Sr. fala não é o certo, deixe esse mal resolvido, fazer do seu corpo e da sua vida o que bem quiser. Um abraço, acompanho seus comentários pela pagina do Alvaro, e sei da sua clareza e do que fala. Siga em frente.

    ResponderEliminar
  13. Rui Palmela14 maio, 2009

    Obrigado pelo seu comentário e apoio, amigo Serli.

    Na verdade é preciso ter alguma preparação para lidar com certas pessoas que se escondem por detrás do anonimato dizendo o que pensam sobre certos assuntos sem grande capacidade de argumentação.
    Talvez seja por isso que se escondem, pois têm vergonha de mostrar que são ignorantes, mas pior é mostrar aquilo que são...

    Grande abraço
    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  14. sou gordo porque como muito e "mal"... Mas não se pode esquecer caro Rui que há muita gente que padece de doenças que lhes provoca a obesidade... Por isso não devemos meter tudo no mesmo saco...

    Um abraço...

    Cristiano Costa

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails