domingo, 30 de março de 2008

UM APELO DE RAJENDA PACHAURI DA ONU




O Dr. Rajenda Pachauri, chefe do IPCC da ONU, apelou ao não consumo de carne para evitar maiores prejuizos no Planeta devido ao grande dispêndio de energia e recursos na sua produção que agravam a questão das alterações climáticas.

Não comer carne, andar de bicicleta, e sermos frugais, pode ajudar a travar o aquecimento global, diz o chefe do painel científico para as questões do meio ambiente.

O relatório de 2007 sobre Mudanças Climáticas, emitido no ano passado, destaca a importância de uma mudança nos nossos hábitos de vida, razão que levou Rajenda a dizer numa conferência de imprensa em Paris que: “o IPCC tinha receio de dizer isto anteriormente, mas agora tem de dizê-lo a toda a gente".

Uma alimentação vegetariana pode ajudar a combater os problemas do clima e seus impactos nos tempos que correm, disse o economista que faz um apelo para as pessoas em todo o mundo controlarem mais os seus impulsos carnívoros.

Estudos têm demonstrado que a produção de 1 Kg de carne bovina, por exemplo, provoca o equivalente a 36,4 Kg de emissões de dióxido de carbono, tanto como um carro europeu a cada 250 Km. Doutro modo, os estudos indicam também que milhares de litros de água potável (cada vez mais escassa no Planeta) são necessários para produzir carne e obriga também aos desmatamentos de florestas para cultivar campos para o gado, mais do que as áreas necessárias para o consumo directo de cereais e vegetais para o ser humano.

Na lista das várias maneiras de contribuir para a luta contra o aquecimento global, Pachauri elogiou todos os que já optaram há muito por uma alimentação vegetariana e dão assim o seu melhor contributo para o meio ambiente.

Também aconselha que em vez de percorrermos de carro uma distância de 500 metros, deviamos ir a pé ou numa bicicleta que fará uma enorme diferença, além de ser bom para a saúde.

Outras mudanças de atitude em nossas vidas é não comprarmos coisas supérfluas. Ele exortou os consumidores a comprar apenas o que realmente precisam.

Desde o prémio Nobel que recebeu para o IPCC, tal como Al Gore, o actual chefe daquele Departamento científico para as questões climática, faz soar o alarme sobre os perigos do aquecimento global.

"As imagens são bastante sombrias, se a raça humana não fizer nada, as alterações climáticas terão impactos graves", disse Pachauri, ao mesmo tempo ficando animado com o resultado das negociações no combate às alterações climáticas em Bali, com a perspectiva de que uma nova administração em Washington possa se interessar muito mais do que a actual administração Bush.

A reunião em Bali foi definir o quadro de um acordo global sobre a forma de reduzir a produção de dióxido de carbono e outros gases gerados pela actividade humana que estão levando às alterações climáticas. Pachauri também vê motivos para algum optimismo pelo facto de, pela primeira vez, as nações do mundo interiro começaram a reunir-se sobre a questão do aquecimento global.

Em 2007, o IPCC publicou um relatório maciço sobre a realidade e os riscos das alterações climáticas, a sua 4ª avaliação em 18 anos. Pachauri disse mesmo que era demasiado tarde para Washington ractificar o Protocolo de Quioto, o único tratado internacional que impõe cortes nas emissões de CO2.

Na verdade, os Estados Unidos da América são o único país industrializado que não tem compromissos com a redução dos gases de efeito de Estufa, pois o presidente George W. Bush disse sempre que “os interesses económicos do povo norte-americano estão acima dos problemas do meio ambiente”... sendo o seu país o mais poluidor do Mundo.

Enfim, que a nova administração da Casa Branca no próximo ano saiba interpretar melhor os sinais dos tempos e promova reuniões a nível global para todos se unirem no combate ao maior problema da Humanidade cujas consequências nefastas nos próximos anos podem trazer as maiores guerras e calamidades à Humanidade no século actual.

Por isso, é importante mudarmos nossos comportamentos e hábitos de consumo diário, começando pela própria alimentação.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela


Clicar na imagem acima e ver vídeo de conferência de Rajenda Pachauri

1 comentário:

  1. Excelente apelo do Dr. Pachauri,
    Em resumo: menos carne menos impacto ambiental negativo e mais saúde!
    As proteínas vegetais com maior eficiência de produção, consequentemente mais baratas e saudáveis, devem ser consideradas como uma opção pessoal de contribuição efetiva, sem retórica!
    Vamos mostrar sem demagogia que podemos contribuir de verdade, também na hora de comer...
    Parabens pelo artigo sres. do Alvorecer.

    Franz Salces Ruiz
    greentech@incamp.unicamp.br

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails