quinta-feira, 5 de julho de 2007

A ANOREXIA NERVOSA


A anorexia nervosa é um transtorno alimentar originado pela busca implacável de emagrecimento forçado das pessoas gordas (ou que se acham gordas), recorrendo a estratégias que levam quase à completa negação de alimentos para perda de peso.

As pessoas com este tipo de comportamento apresentam um certo medo de engordar, mesmo estando extremamente magras. Olham-se ao espelho numa obsessão constante de ver se há mais alguma parte do seu corpo com sinais de gordura que tenha de ser eliminada e chegam a fazer exercícios físicos regulares desnecessários a par de uma dieta perigosa com riscos de saúde que pode levar à morte por desnutrição. É um problema gravíssimo que afecta principalmente jovens adolescentes e mulheres adultas, sendo 90% entre a faixa dos 12 aos 20 anos, e os restantes 10% para idades acima destas.

A preocupação com o peso e a forma corporal leva tantas vezes a jovem ou mulher a iniciar uma dieta progressivamente selectiva, em que se evita o máximo de alimentos calóricos. Casos há em que não raras vezes recorrem ao vômito depois de terem comido, e mesmo praticam o jejum absoluto numa atitude impensada e perigosa para a sua saúde. Tudo por vaidade!

Esta pessoas normalmente isolam-se da família e dos amigos, ficando cada vez mais tristes, irritadas e ansiosas. Gradualmente perdem o apetite por completo, sentem-se fracas e sem disposição para trabalhar, perdem a auto-estima e dificilmente admitem estar com problemas, não aceitando conselhos ou ajudas de ninguém. A família às vezes demora a perceber que algo está errado, e assim as pessoas com anorexia nervosa podem não receber nenhum tratamento médico a tempo, até ao dia em que sejam levadas para o hospital num estado deplorável, perigosamente magras e desnutridas. Muitas morrem apesar dos esforços de as recuperar.

É assim este Mundo cheio de contrastes, uns comendo demais pelo “pecado da gula”, pouco se importando com seus corpos deformados pela obesidade; outros comendo de menos por vaidade desejando estar elegantes (até demais) nem que seja à custa da saúde que perdem por esse processo; e por fim os que morrem de fome por nada terem para comer mesmo que o desejem. Este é o caso de milhões de pessoas no Mundo onde em cada 3 segundos (um estalar de dedos) sucumbe uma criança com falta de alimentos.

É preciso alterar todas estas loucuras na Civilização, falando abertamente para toda a gente de modo a que se despertem as consciências e se melhore a situação. Algo tem que ser feito, de facto, e talvez o que falta mesmo é mais Amor, mais Verdade, mais Equidade, mais Comunhão.

Pausa para reflexão!
Rui Palmela

4 comentários:

  1. Lu Cordeiro.05 julho, 2007

    Obrigado, por ter me dado atenção!

    Abraço Fraterno Amigo Rui.

    ResponderEliminar
  2. Voçê percebe disto! Muitos parabens pela forma como descreve estes disturbios alimentares, que hoje em dia ainda são incompreendidos!

    ResponderEliminar
  3. Talvez um pouco mais de pesquisa talvez um pouco mais de sentimento, o(a) fizessem perceber melhor o mundo de quem sofre de distúrbios alimentares, não se trata de uma vaidade, mas sim de uma obsessão, e por vezes nem sequer é uma obsessão por emagrecer, podendo ser simplesmente a recusa a crescer, para adolescência, ou para a fase adulta, como pode ainda ser uma obsessão, ou melhor preocupação exuberante por uma coisa qualquer que se demonstra na excessiva perda de peso e de apetite. Tratasse sobre tudo de um problema causado ao nível do pensamento e não minimamente de uma vaidade.
    Ainda que discorde de algumas explicações, agradeço a sua preocupação pelo assunto e a sua divulgação do alerta.

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails