quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O SEXO Á LUZ DO ESPIRITO


Achei interessante este tema que repasso no meu Blog fazendo no fim meu comentário sobre o assunto. Aqui fica:

O Espírito de Emmanuel elucida, com sabedoria, que, em torno do sexo, será justo sintetizarmos todas as digressões nas normas seguintes:

Não proibição, mas educação.
Não abstinência imposta, mas emprego digno.
Não indisciplina, mas controle.
Não impulso livre, mas responsabilidade.

Fora disso, é teorizar simplesmente, para depois aprender ou reaprender com a experiência. Sem isso, será enganar-nos, lutar sem proveito, sofrer e recomeçar a obra da sublimação pessoal, tantas vezes quantas se fizerem precisas, pelos mecanismos da reencarnação, porque a aplicação do sexo, ante a luz do amor e da vida, é assunto pertinente à consciência de cada um.

Todos nós trazemos os temas particulares com referência ao sexo. Atendendo à soma das qualidades adquiridas, na fieira das próprias reencarnações, nos revelamos, no Plano Físico, pelas tendências que registramos nos recessos do ser. Cada pessoa se distingue por determinadas peculiaridades no mundo emotivo. O sexo se define desse modo, por atributo não apenas respeitável, mas profundamente santo da Natureza, exigindo educação e controle.

Não tem lógica subtrair as manifestações sexuais dos seres humanos, a pretexto de elevação compulsória, ou deslocá-las de sua posição venerável a garantir-lhes a libertação. Sexo é espírito e vida, a serviço da felicidade e da harmonia do Universo. A energia sexual, como recurso da lei de atração, na perpetuação das espécies, é inerente à própria vida, gerando cargas magnéticas em todos os seres, em face das potencialidades criativas de que se reveste.

Nos seres primitivos, situados nos primeiros degraus da emoção e do raciocínio, e, ainda, em todas as criaturas que se demoram, voluntariamente, no nível dos brutos, a descarga de semelhante energia se opera por automatismo orgânico inconsciente. Isso, porém, custam-lhes efeitos angustiantes a lhes lastrearem longos e penosos períodos de expiação, presos a existências menos felizes, nas quais, pouco a pouco, a vida lhes ensina que ninguém abusa de alguém sem carrear prejuízo a si mesmo.

Na medida em que a individualidade evolui, passa a compreender que o sexo requer o impositivo do discernimento e responsabilidade em sua aplicação, e que, por isso mesmo, deve ser controlado por valores morais que lhe garantam o emprego digno, seja na criação de formas físicas, seja artística, cultural, comportamental, propiciando a elevação espiritual do ser humano e, conseqüentemente, a evolução do Planeta.

O sexo, no ser humano, conforme se expresse, terá conseqüências felizes ou infelizes, construtivas ou destrutivas, pois não depende da sua função em si mesma, mas, fundamentalmente, do seu usuário. Atualmente, comenta-se a possibilidade da legalização das relações sexuais livres, como se fora justo escolher companhias, apenas, para a satisfação do impulso genésico, qual instrumento de troca ou indivíduo descartável. Relações sexuais, no entanto, envolvem consciência e responsabilidade.

"Homem ou mulher, adquirindo parceira ou parceiro para a conjunção afetiva, deve canalizar suas energias sexuais a um propósito elevado, pois, pensando tão-somente em si mesmo, a frustração é imediata"...

É de facto assim que acontece, digo eu, se tão somente temos um conjuge para satisfação pessoal do prazer dos sentidos nomeadamente os de ordem sexual.

A verdade porém é que tudo começa aí, a nossa atracção pela pessoa do sexo oposto que tem um rosto bonito ou um corpo esbelto que dalgum modo desperta em nós emoções e desejos de possui-la carnalmente numa paixão momentânea ou duradoura, conforme sejam as características pessoais de cada um. Porém, muitas são as decepções ou desilusões se limitarmos nosso relacionamento ao mero prazer dos sentidos que com o tempo se desfazem e nada mais restará a não ser lembranças de alguns momentos passados juntos, como é o caso dos que gostam apenas de 'transar' nas férias e fazer "turismo sexual" mostrando um comportamento errado e anti-social. Mais cedo ou mais tarde se reflectirá em sua vida o reflexo negativo de tudo isso!

A energia sexual é algo que poucos sabem controlar e usar no bom sentido, sendo uma energia poderosa que suscita muitas emoções que tanto podem construir como destruir a vida das pessoas. Há mesmo quem diga que a Sexualidade é a energia do "Espírito Santo" por ser a própria energia da vida que deve ser respeitada e não malbaratada ou utilizada de forma desenfreda e pervertida.

Todos os Mestres da Espiritualidade aconselham uma certa contenção, por alguma razão, fazendo a apologia da 'castidade' que não deve ser entendida como castração mas sim como forma de sublimar ou canalizar parte da nossa energia sexual para cima, para o cérebro, a fim de desenvolver as glândulas pituitária/pineal que são da Clarividencia e despertarmos assim um maior estado de Consciência. Infelizmente o que acontece é que a maior parte dos seres humanos perdem na 'horizontal' aquilo que um dia lhes faltará na 'vertical'... Esta é a verdade!

Já agora abordemos a questão da Homossexualidade como algo contrário à natureza do Sexo que hoje em dia aumenta de forma desmesurada ou anti-natural, havendo mesmo os "casamentos gay" que vão sendo oficializados nalguns paises do mundo ocidental, onde a crise de valores é quase total e tudo já se aceita como sendo normal. Sou muitas vezes acusado de 'homofóbico' por dizer o que penso sobre esta questão, sem no entanto ter algo contra meus irmãos (homens ou mulheres) que por alguma razão se sentem atraidos por pessoas do mesmo sexo com quem praticam actos sexuais anormais, há muito condenados nos tempos ancestrais, sinalizando a degeneração e queda da Civilização (veja-se o exemplo de Sodoma, Gomorra, Pompeia, Herculano, Babilónia e Roma). Por isso seria bom que todos percebessemos que a Sexualidade é algo sagrado que não devemos mais tornar em pecado...

Enfim, a questão do Sexo é algo mais do que fornicação e isto devemos entender para termos com nossos pares conjugais uma verdadeira relação.

Pausa para reflexão!

Rui Palmela

12 comentários:

  1. Rui belo texto, e coloco aqui meu sentimento em relação a isso. Sexo sem amor é perverso, animalesco sem nexo e o que sobra sendo assim é uma profunda insatisfação causada por uma satisfação passageira. Em minha visão o acto de amor é a expressão mais sublime de DEUS em nós, torna-se santo e sagrado pois quando ELE diz: Sereis uma só carne! traz consigo a própria lei da criação. A banalização do ato sexual chegou ao limite da inverção total de valores. Infelizmente amigo a humanidade transforma o divino em abominação.

    Abraços fraternos

    Cassia

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo o que dizes, amiga Cassia, infelizmente o sexo tornou-se uma espécie de divertimento social em que a sua perversão (e banalização) se tornou tão normal, que hoje em dia poucos são os que o usam de forma racional.

    Obrigado pela participação,

    Abraço fraterno.

    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  3. a homossexualidade não é contra a natureza do sexo. a homossexualidade é intrínseca á natureza do sexo animal, e o ser humano para além de racional é também animal, não é robot.

    ResponderEliminar
  4. na natureza é normalíssimo relações homossexuais entre animais, desde da mosca ao golfinho passando pelos primatas. o que acontece Sr Rui é que documentários sobre a vida homossexual dos animais são tabu e consequentemente raríssimos, quer você queira ou não o ser humano é também animal, logo a homossexualidade acontece e é natural e normal, os fundamentos do seu blogue para além de homofóbicos têm um grande cariz religioso.A religião que ignorantemente distorceu a sexualidade durante milhares de anos.

    ResponderEliminar
  5. Filomena Nunes13 agosto, 2009

    "A perfeição, para que o seja verdadeiramente, deve nascer da imperfeição; o incorruptível deve ter a sua imagem no corruptível, que será o seu veículo, base e contraste” ...
    Helena P.Blavatsky

    ResponderEliminar
  6. Que essa frase de Helena Petrova Blavatsky (a grande Teosofista russa) não sirva de pretexto nem de justificação para alimentar tantos males do mundo e tanta degeneração no seio da nossa Civilização.

    De resto, já existe tanto conhecimento e informação no século actual, que não haverá mais desculpa para todos os que se degradam e pervertem voluntariamente descurando valores de ordem moral e espiritual.

    De resto, tal como Jesus dizia: "Antes eu nunca vos tivesse dito isto"... ou seja, era preferível continuar a ignorar suas verdades do que conhecê-las e continuar no erro e no pecado de transgressão.

    Pausa para reflexão!

    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  7. Filomena Nunes13 agosto, 2009

    Jesus Cristo também disse "quem não tiver pecado, que atire a primeira pedra"

    Não é uma questão de "desculpa ou de justificação", mas antes de tolerância que é uma virtude do espírito.

    A grande maioria da humanidade, a que pertencemos, ainda vive ao nível da inconsciência...
    É preciso que se faça consciênte o "material" do inconsciênte para que o indivíduo comece a trabalha-lo. E isso acontece, geralmente, quando as situações se tornam intoleráveis por causarem tanto sofrimento!!

    Além de que, todos tivemos/temos/teremos de passar por todo o tipo de experiências de trevas e de luz... até ganharmos a capacidade de escolher a Luz... Deus criou-nos com livre-arbítrio e deixa que experienciemos o mal. Só conhecendo o mal poderemos fazer uma escolha consciente!!

    O mal deve ser visto como a outra face da moeda..

    A crítica destrutiva também pertence ao mal. A crítica não provém do Espírito mas do Ego e da sua mente separatista... só o Amor une e só o "Amor salva".

    Darmos atenção ao mal, ainda que seja para o julgar ou criticar, é alimenta-lo... o mal morrerá de inanição no dia em que ninguém o alimente nem por actos, nem palavras, nem sentimentos, nem pensamentos... o mal é só a ausencia de Luz.. e a Luz conquista-se!!

    Por outro lado, as mensagens recentíssimas de Mestres Ascensos e do próprio Arcanjo Miguel, são muito claras quando nos transmitem a ideia de que o caminho é individual mesmo que estejamos em grupo.

    Ou seja, cada um de nós é responsável pela sua própria ascensão e não pela dos seus irmãos... o nosso exemplo, a nossa luz, a nossa vibração é suficiente para que possamos provocar mudanças positivas nos nossos irmãos, por onde quer que passemos...

    ... por mim, convivo diariamente com todo o tipo de pessoas, "pervertidas" como "iluminadas"... mas não me compete julgar!! Limito-me a dar-lhes o melhor que tenho para dar em cada momento: a minha atenção, o meu afecto, o meu sorriso!!

    ... e isto não é uma crítica amigo. Veja-o antes como uma perspectiva (a minha) do assunto que postou num local que é exactamente para podermos debater ideias.

    Votos de Amor e Luz

    Filomena

    ResponderEliminar
  8. Entendo tuas palavras e as subscrevo até certo ponto, cara amiga Filomena, não estando em causa a questão da tolerância que devemos ter para com os que livre e voluntariamente têm comportamentos errados ou imorais nas suas apetências sexuais. Não é isso que estamos aqui a discutir, cada um é responsável pelo que faz nesta vida com seu "livre-arbítreo".

    Não considero também que estejamos aqui a julgar ou condenar alguém pelo modo como se comporta na sua vida sexual (nem estamos limpos de pecado para fazê-lo, como Jesus bem referia), mas tão somente podemos alertar e conscientizar as pessoas para o perigo de virem a sofrer nesta ou noutras vidas o reflexo de condutas pessoais, seja nas práticas sexuais ou outras coisas mais, cuja obrigação moral dos mais esclarecidos é afinal EDUCAR e não condenar quem quer que seja. De resto devemos até estar agradecidos pela oportunidade que temos de aprender nesta vida aquilo que levaria séculos ou milénios de sofrimento a perceber pelas leis do karma.

    Doutro modo, não considero que S.Paulo (o grande Apóstolo de Cristo) tenha condenado alguém com suas palavras (um pouco duras talvez) quando se referia aos pecados dos bacanais e comportamentos homossexuais na Sociedade Romana (que hoje se repetem de novo), admoestando-os apenas como a seguir transcrevo:

    “...PELO QUE DEUS OS ABANDONOU ÁS PAIXÕES INFAMES; PORQUE ATÉ AS SUAS MULHERES MUDARAM O USO NATURAL (DO SEXO) NO CONTRÁRIO Á NATUREZA; E, SEMELHANTEMENTE, TAMBÉM OS VARÕES (HOMENS) DEIXANDO O USO NATURAL DA MULHER, SE INFLAMARAM NA SENSUALIDADE UNS PARA COM OS OUTROS, VARÃO COM VARÃO, COMETENDO TORPEZA, RECEBENDO EM SI MESMOS A RECOMPENSA QUE CONVINHA AO SEU ERRO"... (Aos Romanos - 1:26 e 27, da Bíblia) - Será a SIDA a tal 'recompensa' ao erro do pecado sexual?

    Enfim, amiga, eu entendo que muitos prefiram nem abordar estas questões e digam até que são coisas das Religiões que infelizmente estão cheias de pecados por dentro e não servem de bom exemplo em suas doutrinações. Já ouvi mesmo um bispo dizer que "A homossexualidade é um dom de Deus" (contrariando as palavras de Paulo) e também já se vai chamando ao mal de bem e ao bem de mal na Sociedade actual, tudo em nome da 'tolerância' que não havia nos tempos ancestrais. Ainda bem que assim é, hoje há mais compreensão e amor pelo próximo apesar das suas perversidades e iniquidades, pouco importando seus erros e pecados de transgressão, não nos competindo a nós julgar nem condenar ninguém mas sim apenas alertar e chamar a atenção.

    É isso que tento fazer com seriedade e amor no coração. O resto não e comigo,

    Pausa para reflexão!

    Um abraço de Amor e Luz para ti

    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  9. Nita Ferreira14 agosto, 2009

    Hoje vivem-se tempos em que o ser humano se tenta realizar no sexo animalesco, no pior sentido deste adjectivo (sem ofensa para os animais), transformando o que é nado como sublime energia e realização bela do amor, em práticas de promiscuidade desenfreada que não sei o que satisfazem além do prazer do momento e da irracionalidade, pois não saciam certamente o íntimo mais profundo do ser, já que não são realização nem felicidade. Creio até que, bem pelo contrário, estes comportamentos desaguam em maiores frustrações e felicidade e perda de sentida da vida.

    Tenham um dia feliz, amigos!

    Nita Ferreira

    ResponderEliminar
  10. Muito bem, amiga Nita, concordo com o que dizes, infelizmente o sexo deixou de ser tabú e tornou-se hoje numa rentável fonte de negócios (das revista pornograficas, filmes eróticos, etc.) a prática do "swingismo" (trocas de casais ou reuniões em grupo para bacanais), alienação e fantasias sexuais (lojas de sex-shops, espectáculos de streeptease, etc.) já não falando dos comportamentos animalescos de sexo com animais e outras coisas imorais.

    Enfim, nem a SIDA faz temer nem recrudescer esta onda de perversão que arrasta milhões de seres humanos do nosso século, deixando-se cair em tentação fazendo do sexo aquilo que que os trás em condenação. Aliás, entendo bem as palavras de Jesus Cristo quando dizia que "o pecado contra o filho do homem será perdoado, mas o pecado contra o E. Santo (a energia sexual espiritual) não será perdoado"... por várias gerações!

    Um abraço fraternal

    Rui Palmela

    ResponderEliminar
  11. antonio Maria Claret Soares de Marialva15 agosto, 2009

    Amigo Rui.

    Desta vez o assunto que você levantou parece que "agitou a galera"! rsrsrsr

    Minha visão em relação ao sexo é mais histórica do que moral.
    No antiguidade o sexo e a sexualidade era totalmente liberal começando a exemplificar biblicamente com o incesto de Abrão, depois o incesto de Ló, etc.Absolutamente todos os povos da época praticavam o sexo de forma livre incluindo pedofilia, homosexualismo, etc e com certeza eram mais felizes que nós. Ora, quem amava praticava o sexo por amor, quem não amava o praticava por prazer puro e simples e as reclamações históricas com relação ao sexo começou a meu ver com o povo judeu, notadamente com o rei Davi cujo pecado foi ter levado Urias à morte e não propriamente o sexo tanto que continuou com a mulher daquele infeliz.
    ´Bíblia à parte, o sexo é inerente ao ser humano independentemente do fato de ser ele bom ou mau e hoje a ciência já provou que faz muito bem ao ser humano. Portanto opino pela liberdade total do sexo, desde que haja a livre concordância das partes envolvidas e a imposição de moralismos religioso ou social, acho violação da liberdade de sentimentos, isto sim é um crime gravíssimo.

    ResponderEliminar
  12. Sim, é verdade amigo António, sempre que escrevo alguma coisa sobre o Sexo aumentam sempre as audiências e participações neste meu Blog.

    Quanto ao uso liberal do mesmo na Antiguidade, até mesmo no contexto bíblico nos casos de incesto de Abraão, Lot, etc., as coisas se limitavam às circunstâncias em que tal aconteceram e não servem de exemplo hoje para se fazer a mesma coisa, além de que no caso da Pedofilia ela é considerada crime e antes não. Certo?

    Claro que hoje até mesmo os descrentes e ateus falam em Deus e na Bíblia e se fazem tão 'religiosos' da Iniquidade indo buscar os maus exemplos da fornicação livre que se praticava na Antiguidade. Mas o facto, querido amigo, é que foi a luxuria e a prática imoral da Sexualidade que levou à queda e destruição de povos que bem conhecemos.

    Os de Sodoma, Gomorra, Pompeia, Herculano, Babilónia e Roma, tal como muita gente hoje, achavam que tudo era lícito fazer desde que "com a livre concordância das partes envolvidas" como tão bem defendes na Actualidade. Quiçá haja por aí muita gente daqueles tempos a desemcaminhar muita gente do mesmo modo que vivia antigamente...

    Pois é, amigo, que cada um faça como lhe aprouver nos tempos actuais, sujeitando-se porém ás consequências de seus actos e perversidades sexuais, por sinal já condenadas no tempo de Jesus Jesus Cristo pelo próprio que era bem claro nestas questões, falando do pecado da fornicação e das 'concupiscências' carnais dizendo aquilo que muitos não gostam de saber nem entender pelas suas perversões acusando as próprias religiões.

    Hoje até existem muitos sexólogos, pseudo entendidos do Sexo, que induzem no erro as multidões.

    Porém é certo que "Cegos que se deixam conduzir por outros cegos caiem ambos no abismo"...

    Parece que muitos não entendem ainda hoje, crentes ou não crentes, o sentido das palavras de Amor e Verdade dos Instrutores da Humanidade. A maioria parece preferir mais ouvir ou seguir os génios da Iniquidade que propalam a luxuria e a perversidade falando de 'Liberdade'.

    São estes e outros sinais de Degeneração e queda da Civilização que estão ai de novo a chamar-nos a atenção...

    Pausa para reflexão!

    Um abraço de amizade

    Rui Palmela

    ResponderEliminar

Related Posts with Thumbnails